conteúdo do menu
conteúdo principal
08/09/2020

Secretaria de Educação, Cultura e Desporto

Trabalhadores da Cultura devem se cadastrar junto ao Estado para receber benefício da Lei Aldir Blanc

Apoio emergencial será disponibilizado mediante cadastro no site cultura.rs.gov.br

COMPARTILHAR NOTÍCIA

Trabalhadores da cultura devem se inscrever para receber o benefício da Lei Aldir Blanc, que destinará recursos para a área, afetada pelas restrições causadas em função da pandemia causada pelo novo Coronavírus - COVID-19. Conforme a lei, os trabalhadores do setor cultural receberão R$ 600 por mês, em três parcelas. O benefício será limitado a duas pessoas de uma mesma família e, quando se tratar de mulher chefe de família, terá direito a duas cotas. Os interessados devem preencher a solicitação disponível no site da Secretaria de Estado da Cultura – www.cultura.rs.gov.br.

O Departamento Municipal de Cultura reforça a obrigatoriedade do cadastramento para que os trabalhadores do setor tenham acesso ao benefício, que deverá ser liberado a partir deste mês, segundo a Secretaria Especial de Cultura do país. Trabalhadores da cultura de Nova Petrópolis que tiverem dificuldades para efetuar a inscrição para receber o benefício da Lei Aldir Blanc no cadastro disponível no site da Secretaria de Estado da Cultura, podem entrar em contato com o Departamento Municipal de Cultura pelo fone (54) 3281-4064.

A Lei Aldir Blanc também beneficiará os espaços culturais, com verbas de até R$ 10 mil. Para tanto, de 27 de julho a 3 de agosto, o Departamento Municipal de Cultura realizou o cadastramento de entidades e segmentos da área cultural que tiveram suas atividades interrompidas em função da pandemia e buscam receber este benefício emergencial. A liberação destes recursos para entidades e segmentos da área cultural também deve ocorrer a partir de setembro, após análise do Conselho Municipal de Políticas Públicas Culturais de Nova Petrópolis.

A Lei Federal nº 14.017/2020, de 29 de junho de 2020, Lei de Emergência Cultural - Aldir Blanc, dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural durante o estado de calamidade pública em virtude da pandemia causada pelo novo Coronavírus (COVID-19). A União depositará aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, em parcela única, no exercício de 2020, o valor total de R$ 3 bilhões para aplicação, pelos Poderes Executivos locais, em ações emergenciais de apoio ao setor cultural. Nova Petrópolis deve receber R$ 169 mil para auxiliar o setor.

Para mais notícias sobre Nova Petrópolis acesse o site oficial do Município, www.novapetropolis.rs.gov.br. Saiba mais sobre o turismo de Nova Petrópolis em turismo.novapetropolis.rs.gov.br. Na página oficial do facebook da Prefeitura de Nova Petrópolis, facebook.com/novapetropolisrs, encontre informações atualizadas, fotos e vídeos das ações realizadas pela Administração Municipal. Siga Nova Petrópolis no Instagram @prefeituranovapetropolis e no Twitter @prefeituranp.

Quem tem direito ao benefício?

A exemplo do auxílio emergencial pago aos informais, os trabalhadores do setor cultural receberão R$ 600 por mês, em três parcelas. O benefício será limitado a duas pessoas de uma mesma família e, quando se tratar de mulher chefe de família, terá direito a duas cotas.

De acordo com o decreto Federal, para ter direito ao benefício, o profissional do setor artístico terá de comprovar atuação na área nos últimos 24 meses; e não poderá ter emprego formal. Outra exigência é não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial e nem estar recebendo seguro-desemprego ou qualquer renda de programa de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família.

Também é preciso comprovar renda familiar mensal par capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal total de até três salários-mínimos, o que for maior.

Para ter direito ao benefício, a pessoa não pode ter recebido, no ano de 2018, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70; e nem ser beneficiário do auxílio emergencial pago pelo Governo Federal.

Segundo o decreto Federal, entende-se como trabalhador e trabalhadora da cultura, as pessoas que participam da cadeia produtiva dos segmentos artísticos e culturais, “incluídos artistas, contadores de histórias, produtores, técnicos, curadores, oficineiros e professores de escolas de arte e capoeira”.

Documento(s)

Outras Notícias